segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Fatos e Atos de uma segunda noturna...

     Minhas pernas realmente doem muito, andar alguns km de bicicleta sem que aja uma preparação adequada realmente não é pra qualquer um, ou uma como no meu caso. Mas confesso que muito me atrai essa pequenas e limitadas aventuras, é como se existisse um força capaz de curar todas as minhas feridas e acalmar todas as dores nervosas que sufocam minha mente, minha paz, meu ser. Sou do mato, gosto do cheiro de terra, do vento gelado que vem serpenteando entre as árvores e bate suavemente em meu corpo me fazendo repor as energias. Realmente e relativamente gratificante andar por lugares mais afastados, mas distantes, é bom deixar um rastro de riso, de cansaço, de suor, de vida, bom mesmo é chegar no mais longe que se pode ir e concentrar toda a mágoa e todo o tormento e lá deixar para que o vento corroa e faça virar pó tudo aquilo que me é tão concreto, é saber que por onde andasse deixasse um pedaço de ar, palavra e pensamentos emitidos por ti.
       Se tiveres um coração aberto você verá a mais perfeita conecção entre homem e natureza mostrando que a união que deve se tornar presente neste mundo tão insano e deprimente aos olhos de quem se limita a viver sem a capacidade de usar o poder da mente.

Um comentário:

  1. Ola Marilis tudo bem?
    suas palavras linda como a natureza e suave como o vento me fez interessar pelo seu blog, você sabe usar as palavras.
    Parabéns!
    convido você a visitar meu blog e se juntar ao meu grupo de amigos será um grande prazer em ter você como amiga!
    um forte abraço!

    ResponderExcluir