sábado, 21 de janeiro de 2012

23:00

Como se fosse possível controlar essa vontade louca de jogar tudo pro ar e sumir daqui, é como se eu vivesse num ambiente completamente errado, como se eu fosse o eu mais estranho que possa existir. Sinto saudade  de muitas coisas, de muitas pessoas mas nem os do meu próprio sangue parecem se ligar que tudo nessa vida vai acabar, é como se cada minuto corroesse meu "eu" e me fizesse menos parecida com quem já fui. Tenho vontade de gritar alto, de todo dia arranjar algo pra mudar que liberte quem eu sou, quem eu quero ser. Eu não quero e nem sou a ultima opção, eu não quero e nem sou a que fica pra depois.

Nenhum comentário:

Postar um comentário