quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Eu e uma pilha de nós.

Como numa canção, acredito que temos o nosso refrão
a parte calma, a parte mais agitada.
O começo, o meio e o fim...
Embora sempre carregamos em nossos corações a estabilidade
que nos transforma em nós mesmos após uma grande alegria, sorrisos, gritos e comemorações
 ou depois de grandes tristezas, rios de lágrimas, falta de conclusões.
Não podemos ser tão ruins a ponto de não existir alguém para nos apreciar
                      ou tão bons a ponto de a todos agradar.
                      Somos únicos, donos de uma só sintonia
                      Donos de uma vida, seja ela de felicidades, drama ou agonia
                      Lutamos em busca e em recusas de avaliações
                      e as vezes nem nos deparamos que são através
                      das criticas que nos superamos. 
                       Procuramos acertar a sintonia, 
agradar os bons ouvintes.
Somos falhos, grandes, fortes e fracos.
Somos belos, diferentes, deprimentes e bravos.
Somos nós, sós, acompanhados,
separados, juntos, amontoados...
Somos iguais, e diferentes e nossos dons.
Donos de formas diferentes de ganhar, perder e levantar.
Somos irmãos, somos estranhos,
somos companheiros, egoístas 
somos humanos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário