domingo, 6 de novembro de 2011

Conclusões pós-balada.

E novamente me vi sozinha com meus pensamentos no meio daquele povo doido dançando. Até havia uns que me agradavam, dois passos no ritmo da música e eu nem consegui saber onde estavam e nem lembrava mais da fisionomia... Horas gostava de cair na gargalhada junto com minha linda amigas e minha afilhada dançado alguma música antiga e com uma letra aceitável para de maravilhar com a sintonia da música e horas eu parava para analisar quantos tipos de festa tinha naquela festa... Havia a festa das meninas que se arrumaram impecavelmente para impressionar, as vezes uma certa pessoa, outras só para ser a melhor do grupinho, havia a  festa dos caras que sairão de casa para beber todas curtir com a rapaziada e pegar a mulherada, tinha até um casal de uns 50 anos que haviam ido mesmo só para dançar, Tinha também a festa daqueles casais já maduros que com outros casais foram para descontrair e fugir da rotina de namoros longos, havia aqueles que procuravam desesperadamente uma namorada, bebiam e depois vinham com cantadas falhas, tinha a festa dos jovens que começaram a bailar a pouco e a dos jovens que já conhecem cada repertório de DJ ou Banda, tinha a festa daquelas meninas que por se preocuparem tanto no "que vão falar, ou pensar da roupa" trilhavam um carreiro fundo até o espelho do banheiro, teve a festa daqueles que nem queriam saber de compromisso e se contentam em alugar corpos de essências desconhecidas para satisfazer os desejos carnais e até mesmo a festa daqueles que nada disso queriam e somente foram para dançar, beber e fazer festa com amizades antigas e verdadeiras. Também vi nos olhos de muitas meninas lindas e com complexo de inferioridade a festa das lamentações onde apenas viam de longe um rapaz belo e conhecido e suspiravam sem nada fazer, sem contar na festa daqueles encontros constrangedores de ex namorados que despertavam nas pessoas uma festa de provocações e ciumes para ver se ainda tinham valor para os que deixaram, teve a festa dos animados, atirados, desanimados, gordos e magros e a minha festa, que foi a mais interessante na minha opinião, a festa de uma guria que teve meia hora pra se arrumar, dois segundos no espelho para se avaliar e uma noite toda para descobrir que em uma só festa a muito mais que dez modos de festejar, se divertir ou se lamentar.

Um comentário:

  1. ...só para avisar...q naquele casal de 50, eu não estava...rsrs...belo texto...muito bem "articulado"
    Bom final de semana!

    ResponderExcluir